Não tente fazer diagnóstico da sonda lambda de banda larga sem ler esse artigo primeiro

cabos pretos de sonda lambda de banda larga em fundo branco

Atualizado em 3 de março de 2022

A sonda lambda de banda larga necessita de um sistema eletrônico para seu funcionamento.

Um circuito integrado, montado no módulo do motor, é responsável por compor o sinal que corresponde à relação lambda da mistura queimada no motor.

Dispostas em camadas, se formarão as células, sendo uma denominada geradora e a outra de bombeamento.

A célula geradora produz uma tensão, inicialmente, em função do volume de oxigênio nos gases de escape, já que se comunica com eles através da câmara de medição.

Algumas nomenclaturas

  • UEGO – Sensor de oxigênio universal de relação ar/combustível. Notação NTK;
  • WRAF – Sensor de Relação Ar/Combustível de Banda Larga. Esta denominação acontece por conta dos sensores que permitem a detecção de relações ar/combustível dentro de uma ampla faixa;
  • WEGO – Sensor de Oxigênio de Banda Larga

Princípio de funcionamento

O sensor de oxigênio aquecido de banda larga (HO2S) mede o volume de oxigênio no sistema de exaustão e fornece mais informações do que o estilo de comutação do HO2S.

O sensor de banda larga consiste em uma célula de sensoriamento de oxigênio, uma célula de bombeamento de oxigênio e um aquecedor.

A amostra do gás de exaustão passa através de um espaço de difusão entre a célula de sensoriamento e a célula de bombeamento, conforme exibe a figura abaixo.

O módulo de controle do motor (ECM) fornece uma tensão para o HO2S e a utiliza como referência para o volume de oxigênio no sistema de exaustão.

Um circuito eletrônico dentro do ECM controla a corrente da bomba através da célula de bombeamento de oxigênio para manter uma voltagem de sinal constante na célula de detecção de oxigênio.

O ECM monitora a variação da tensão na célula de detecção e tenta mantê-la constante, aumentando ou diminuindo o volume do fluxo de íons de oxigênio para a célula de bombeamento.

Ao medir a quantidade de corrente exigida para manter a voltagem na célula de detecção, o ECM pode determinar a concentração de oxigênio na exaustão.

A figura a seguir exibe a ligação entre a sonda e o circuito eletrônico no interior do ECM.

Zonas que compõem a sonda de banda larga

  • Pump Cell – Célula de bombeamento
  • Measurement chamber – Passagem dos gases de escape
  • Measurement Cell – Célula de medição
  • Ambient air – ar ambiente

Verificações preliminares

A operação correta do sensor de oxigênio depende dos seguintes fatores:

  1. Temperatura da ponta do sensor
  2. Condição mecânica do motor
  3. Qualidade do combustível
  4. Temperatura do motor
  5. Ambiente externo do sensor (contaminação)
  6. Integridade do sistema de gerenciamento do motor

Medição de resistência do aquecedor

Antes de tomar qualquer medida com o scanner ou osciloscópio, você precisa medir os valores de resistência do circuito do elemento de aquecimento do sensor de oxigênio.

seguir um exemplo de como testar o elemento aquecedor do sensor de oxigênio em um veículo Audi Q3 2.0 TFSI. Conforme mostra o Manual de Injeção Eletrônica do Simplo.

  • Desconecte o terminal negativo da bateria do veículo.
  • Desconecte o plugue múltiplo do sensor de oxigênio e localize os terminais 3 e 4 do sensor de oxigênio.
  • Com um multímetro, meça e registre o valor da resistência obtido entre os terminais 3 e 4 do sensor de oxigênio. Valor obtido: Aproximadamente 3,5 ± 20 ° C.

A figura a seguir mostra como se realiza a medição da resistência do sensor.

Análise do funcionamento da sonda lambda de banda larga com scanner

Ao analisar a corrente de bombeamento, via scanner, vemos que quando temos corrente negativa, é sinal de que a mistura está rica.

Quando a corrente é positiva sinaliza que a mistura está pobre, como apresentam as figuras abaixo.

Até a próxima!